Blog

Perseverança

1 comentário

Com efeito, tendes necessidade de perseverança, para que, havendo feito a vontade de Deus, alcanceis a promessa. Hb 10:36

Quando meu filho André tinha quatro anos, começou estudar violino. Pouco tempo depois, quase parou, pois a desmotivação, mesmo quando há talento, é muito fácil de se instalar, principalmente quando o nível de dificuldade da atividade proposta, impõe-se como um grande desafio.
Hoje, o vi tocando como spala (violinista líder) da orquestra da qual faz parte, Camerata Jovem de Porto Alegre, quando treze anos já se passaram, desde que ele começou a estudar este difícil instrumento. A chave foi a perseverança, pois a continuidade hoje em dia não é algo fácil.
Vivemos dias de muitas distrações e desafios, onde é muito fácil perder a motivação e o foco. E isto é fácil ver também na Igreja. Muitos perdem a vontade de prosseguir e param no caminho.
Em primeiro lugar o passo inicial para a perseverança é a fé. Sem fé não se vai a lugar nenhum. Quem crê prossegue, vai além e continua na jornada sem olhar para traz. Segundo, a perseverança é realçada quando existem alvos definidos. Pessoas sem alvos desistem com facilidade. No caso do meu filho, fui colocando a ele os alvos de cada volume de seu curso, os quais foram sendo vencidos gradativamente. Em terceiro lugar a perseverança é fruto de trabalho. Quando nos esforçamos para atingir os alvos, vamos nos motivando a vencer as próximas etapas como desafios de conquista e superação.
Assim é tudo na vida. Estes três ingredientes são instrumentos eficazes de vitória nesta jornada que Deus nos dá para trilhar. Vida vitoriosa é uma vida de conquista, e conquista, é fruto direto de perseverança.
O texto dito aos Hebreus, citado por mim acima, é proclamado a quem tinha tudo para desistir, em função dos acontecimentos que os afligiam, mas por causa da fé, seus alvos e seu trabalho não o fizeram, pois colocaram sua inteira confiança em Deus para seguirem adiante.
Nos dias difíceis que vivemos, estes ingredientes são, sobremaneira, essenciais para continuarmos vivendo a vida que Deus propõe para nós. Uma vida de conquistas e muitas vitórias. Acima de coragem e talento, perseverança é a virtude suprema de Deus para os nossos dias.

andre

QUANDO O CORAÇÃO SE ALARGA

1 comentário

Para vós outros, ó coríntios, abrem- se os nossos lábios, e alarga- se o nosso coraçãoNão tendes limites em nós; mas estais limitados em vossos próprios afetos. Ora, como justa retribuição, falo-vos como a filhos, dilatai-vos também vós.
2 Coríntios 6: 11 a 13
Há poucos dias visitei a comunidade de um amigo aqui em Porto Alegre. Quando lá cheguei, me deparei com um batalhão de crianças sorridentes que me receberam com alegria e festa ainda no portão. Falando com o casal de pastores, Dari e Regina Cesa Pereira, que já conheço há muito tempo, descobri que não apenas são responsáveis por estas, mas por dezenas de crianças em um projeto chamado, Casa Lar. Toda criança em nossa capital, que não tem para onde ir, é direcionada pelo conselho tutelar municipal para o cuidado desses amados irmãos.
A obra é realizada com a motivação única do amor e, vendo seu relacionamento com as mesmas, é fácil comprovar isso. Tornam-se assim uma ilustração clara da afirmação acima, em que Paulo fala de gente com o coração alargado.
Cada vez mais, mesmo no meio da Igreja, o casal Pereira é uma raridade. No contexto de uma forte ênfase de triunfalismo e prosperidade a qualquer custo, o ensino de Jesus que realçou que, melhor é dar que receber, fica perdido, tornando-se para muitos como apenas uma boa intenção, que todos gostam, concordam mas não praticam. O bom mesmo é receber e receber muito, é ganhar tudo que Deus tem para me dar, reter e enriquecer, gastar o que tenho e pela fé, gastar também o que não tenho, para promover para mim mesmo e os poucos que comigo vivem, uma vida boa e agradável, e tudo, com a legalidade de requisitar isso do Eterno.
Mas este não é o evangelho total, tudo que relatei pode ser alcançado, mas Deus precisa ainda alargar nosso coração para que, de forma consistente,  possamos ajudar pelo menos uma pessoa, uma família, uma criança, um idoso, ou pelo menos apoiar com dedicação quem o faz. Uma parte do que temos, tem que ser transformado, mesmo que a força pela nossa vontade e estrutura de vida, em sementes de bênção e dádiva, para que assim, possamos ter nosso coração alargado por Deus para alcançarmos o mundo sedento e carente.
Quando por fim perguntei ao Dari, quantas crianças eram? Ele respondeu: Já são 105. Porém sua filha Giovana acrescentou: 107, pai, pois tu cuidas também de nós dois. Referindo-se à ela e a seu irmão Gabriel.
Criança