Arquivo de abril, 2015

A Life of Worship

Sem comentários

Queridos Irmãos amigos e companheiros no Bom Combate

 Hoje tive a alegria de ter meu livro lançado para a pré venda em todos os Estados Unidos nas principais redes de distribuição daquele importante mercado e UK.
Orem para que esta seja uma porta aberta para muitos conteúdos brasileiros. Este é um dos primeiros livros de um autor cristão do Brasil lançado nos EUA nesta amplitude.
Quero honrar a todos meus irmãos que colaboraram na produção da edição brasileira, depois na tradução e publicação nos EUA e por fim em árabe.
Quero agradecer ao meu querido Donald por me levar por caminhos seguros todos estes anos e termos juntos alcançado o mercado americano e ele é a voz do CD em inglês que acompanha o livro.
Meu querido Claudinei por acreditar nesse projeto que agora está em todo o mundo. O livro foi lançado em Árabe na Jordânia e Líbano no ano passado e agora será lançado semana que vem no Egito.
No segundo semestre estarei trabalhando na divulgação desse projeto nos EUA junto com meu novo disco.
Amo vcs meus amados
Asaph

Dear brothers
Today I had the great joy to have my book released to the pre selling in the USA, in the main nets of distribution in that important market
The book that was originally were wreeten in Portuguese now can be found in the American and British market. It was released also in Arabic in Jordan and Lebanon and next week in Egypt.
Pray so it will continue to be a Blessing teaching about the real worshipGod is looking for.
Blessings
Asaph
Click na foto para direcionar para o site da Amazon.com
01coverimage
Whitaker house amazon

A MAIORIDADE PENAL

1 comentário

A Maioridade Penal – Asaph Borba

post asaph

Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele. O rico domina sobre o pobre, e o que toma emprestado é servo do que empresta. Provérbios 22:6,7

A CCJ (Comissão de Constituição de Justiça) da Câmara dos Deputados aprovou, na terça-feira (31 de março), a proposta que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos de idade. Dessa forma, a Câmara criará uma comissão especial para analisar a PEC (Proposta de Emenda Constitucional). Porém, só depois de ser votada duas vezes no Plenário da Câmara e de passar pelo Senado, também em dois turnos, é que a proposta tem a possibilidade real de virar lei. Contudo, a tramitação da PEC ainda pode ser questionada no STF (Supremo Tribunal Federal). Caso a proposta seja aprovada e promulgada pelo Congresso, jovens de 16 e 17 anos de idade poderão responder e ser punidos criminalmente da mesma forma que adultos, seguindo o Código Penal, e não mais seguindo as normas do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente). Hoje isso só pode acontecer depois dos 18 anos.

Coloco este enunciado, retirado em sua maioria do próprio texto da Câmara dos Deputados, para introduzir meu assunto.
De maneira simples parece ser mais do que justo, que os jovens que hoje tem condições plena de voto, possam também ser passíveis de responsabilidade criminal. Principalmente, levando-se em conta o número de casos em que estes, nesta faixa etária, estão envolvidos em crimes de todos os tipos. Porém, além de juntar voz ou não aos que aprovam a medida, eu quero ir com mais profundidade nesta análise.
Primeiro, se estivéssemos em uma sociedade que respeita o direito em sua totalidade, a iniciativa política seria bem vinda. Mas não. O sistema prisional brasileiro é medieval. As cadeias farão desses jovens e adolescentes vítimas fatais de um esquema já superlotado e falido. Além disso, temos um judiciário que patina em centenas de milhares de processos a serem julgados, sem ter para os mesmos, quaisquer perspectiva a curto ou médio prazo. É sabido que qualquer processo contra um desses adolescentes, culpados ou não, se arrastará por anos dentro desse mar de incompetência, que libera os mensaleiros e aprisiona os ladrões de galinha.

A mudança de regras, só agrava, ainda mais as mazelas sociais, principalmente das classes mais baixas da sociedade, onde o conhecimento do bem e do mal se tornou um conceito relativo, hoje pelos exemplos que temos em todas as esferas, os fins justificam os meios. O ensino de princípios foi retirado da cartilha escolar. A sociedade hedonista, que busca o prazer e o bem estar a qualquer custo, cobra a conta. Principalmente para aqueles que não tem quem os oriente corretamente. Os conceitos de respeito e verdade, estão, há muito tempo fora de moda.

Em segundo lugar, a meu ver, a criminalidade está totalmente relacionada com o descaso governamental com a segurança pública onde a impunidade é certa e segura. Estes potenciais criminosos são frutos diretos de políticas governamentais ineficientes, que premiam a pobreza e fazem descaso do esforço de quem luta e prospera. Cidades inteiras, assim como comunidades carentes estão hoje vivendo inteiramente de programas sociais que criaram um oceano de dependentes, que procriam de modo indiscriminado para ampliar os benefícios. Estes, dentro desse sistema, já são os adolescentes a quem queremos criminalizar.
Uma transformação no judiciário que desse um exemplo e resposta mais séria à sociedade, um legislativo menos vendido aos interesses e um executivo que visse e tratasse com mais seriedade a corrupção ao seu redor, seriam medidas mais eficazes para corrigir os adolescentes.