Blog

ANO NOVO – HÁBITOS ANTIGOS

Sem comentários

Ano Novo – Hábitos antigos? –  Asaph Borba

Fomos, pois, sepultados com ele na morte pelo batismo; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de vida. Romanos 6:4

Um ano novo chegou. Quando eu era criança, 2016 soava como uma era em um futuro distante mas que finalmente chegou, trazendo consigo desafios e, principalmente, para aqueles que confiam no Senhor, esperança.
A maioria das pessoas, nas quais me incluo, começam o ano com as expectativas renovadas pela fé e otimismo. Fazem propósitos de mudanças de tudo aquilo que identificam não estar bem na vida. Perder peso com dietas e exercícios, novas rotinas de trabalho e estudo e ter mais tempo com os filhos estão entre os alvos mais perseguidos. Para nós cristãos podemos incluir como objetivos, maior intensidade de oração e leitura da palavra de Deus, assim como, mais tempo para servir a Deus, aos irmãos e à igreja.
Porém temos que reconhecer que a realidade mostra o quanto é difícil emplacar qualquer um desses alvos propostos, já que a estagnação dos mesmos nos meses e anos passados, está vinculada a uma imensidão de hábitos que dificilmente serão mudados de um dia para outro. Qualquer mudança, por certo, envolve um investimento de tempo e um grande esforço pessoal que, quando alcançados, trarão benefícios imensuráveis para a qualidade de vida e saúde e um bem estar para quem os conquistam.
A primeira coisa a fazer é conscientizar-se do que, realmente, pode de ser mudado. Em tudo, aprendi que se deve ser realista e extremamente verdadeiro consigo mesmo. Um exemplo disso é quanto ao desejo de mudar a hora de dormir. Entretanto, se temos reuniões, escola ou diferentes atividades à noite, não adianta colocar um alvo de dormir mais cedo que por certo não poderá ser alcançado. Lembro o tempo que estava na faculdade. Trabalhava todo o dia e estudava a noite. Chegava em casa quando minha esposa e filhos me esperavam com a janta às 11 da noite, para termos a refeição juntos e uma comunhão em família. Esta era a realidade. Por isso afirmo, coloque alvos possíveis de serem atingidos em qualquer área da sua vida. No assunto horário, todos querem começar pelo fim e não pelo início. Custei a compreender que não se dorme mais cedo sem acordar mais cedo. O objetivo tem que ser o despertar e não o adormecer.
A segunda coisa é aprender a priorizar o tempo. Um exemplo é com respeito à saúde. Se esta não está boa, fica claro que alvos a cerca do bem estar devem ser urgentes, pois em nosso corpo, o que não está muito bem hoje, fica pior amanhã. Saúde é prioridade. Por isso, hábitos de boa alimentação e exercício são bem vindos sempre. Uma coisa que ajuda, é mapear o tempo com clareza para que se possa ter a visão de quando e onde podemos fazer as atividades propostas. A agendinha ajuda muito. O tempo é um amigo que nunca espera. Por isso para andar bem com ele é necessário pensar em tudo com antecedência. Aprendi a estar antes em qualquer compromisso, tendo comigo sempre, atividades de leitura e escrita que fazem de todas as esperas produtivas. Além do mais, Pensar o tempo é uma fonte inesgotável de tranquilidade.
Terceiro e último ponto é identificar os hábitos. Temos aqueles que são positivos como escovar os dentes de manhã e ao dormir. Porém há aqueles péssimos. Chegar em casa sentar na frente da TV e comer qualquer coisa é um exemplo. Temos muitos maus hábitos, os quais são sempre vinculados ao conforto e comodismo que se ampliam em sua intensidade, com o passar dos dias, trazendo consigo, vagarosamente, os malefícios que não queremos, pois são difíceis de serem eliminados. Quanto aos vícios de alimentação, uma dieta dada por um especialista é melhor ainda pois coloca com propriedade o assunto nos eixos. Isso aconteceu comigo recentemente e me ajudou a entrar no ano mais saudável. Não queira mudar tudo de uma vez. Identifique um mau hábito e coloque o objetivo de eliminá-lo o mais rápido possível. Uma vitória puxa outra e nos anima a continuar. Depois de vencer o primeiro, os outros ficam mais próximos de serem alcançados.
Com esta expectativa, poderei dizer a todos: feliz ano novo em novidade de vida.

Captura de Tela 2016-01-24 às 23.36.31

SER TESTEMUNHA

1 comentário

“Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra”- Atos 1:8.

Do dia para noite o mundo muda. A prosperidade e estabilidade política, econômica e social são voláteis. O Oriente Médio e norte da África, por exemplo, estão em uma crise aguda que leva consigo a Europa. A situação deixa atônita e inerte a todos, governos e populações, que não sabem o que fazer. Barcos entupidos de refugiados, morte de crianças no oceano, degolas de cristãos e de inocentes, rapto e abuso de mulheres, formam o conjunto de atrocidades que entopem o noticiário todos os dias. Estes fatores conjugados, geram milhares de desabrigados, despatriados e famintos da região que inundam as praias e fronteiras da Europa, Estados Unidos e chegam até no Brasil. A multidão constante ruma às grandes cidades das nações mais desenvolvidas em busca de trabalho e segurança. Este cenário faz dessa época, segundo a ONU, uma das mais difíceis da história. A sociedade e cultura humana está em xeque. Tudo se agrava mais ainda com as dificuldades econômicas que pipocam por toda parte. As grandes nações demoram a tomar decisões, e quando as tomam, parecem ser tardias e ineficazes.

No meio de tudo isso, ações são tomadas sem que ninguém possa analisar ou muito menos questionar. Há poucos dias, por exemplo, a Rússia tomou a dianteira. Aporta sem nenhum impedimento, seus porta aviões no Mediterrâneo, frente a Síria. Começa a descarregar um arsenal bélico sem precedentes na região. O objetivo óbvio, é a salvação da integridade territorial e política do governo Assad, assim como amenizar a crise social e econômica da destruída região. O país, em estado de miséria, é quem exporta o maior contingente de refugiados para o ocidente. Em pouco mais de um mês, mais de quinhentos bombardeios espalharam a destruição por todo o Pais. A intensidade da presença Russa começa a ser sentida na região. Sem dúvida, a estratégia de Moscou é acabar, em pouco tempo, com o conflito, já que o poderio aliado, na região há mais tempo, não surtiu muito efeito contra o auto intitulado Estado Islâmico. Putin ganhou carta branca do Congresso Russo e, sem hesitar, colocou o exército vermelho frente a frente com o conflito, e também, às portas de Israel.
Não faço dessa análise uma defesa das posições e integridade sionistas, mas realço o fato que o balanço de poder na região está mudando de forma rápida e drástica e isto vai afetar toda a terra. Mesmo com um poderio bélico considerável, Israel, sem dúvida, terá com o que se preocupar. Com um apoio cada vez menor do Tio Sam e com o já esperado ceticismo generalizado do mundo árabe, frente a intensificação do conflito palestino interno, a deterioração da estabilidade neste antigo palco mundial será rápida. O Irã assiste quieto, buscando com acordos nucleares e comerciais com Europa e Estados Unidos, equilibrar sua economia, a qual, mesmo com abundância de petróleo, está enfraquecida por um longo bloqueio econômico.

Do outro lado do mundo, a China amplia seu poderio econômico e disputa com os Estados Unidos o título de maior economia em um mundo em crise. Com uma gigantesca população o gigante asiático impõe o ritmo da produção mundial, enquanto os Estados Unidos e uma parte da Europa, mesmo enfraquecidos, ditam as regras do consumo e do fluxo de capital. Porém quando a china espirra o mundo espirra. Os emergentes, incluindo o Brasil, são coadjuvantes desse cenário. Poderíamos fazer mais, porém nossa força se perde com o alto índice de corrupção e a má gestão que dilapidam a credibilidade e os recursos.
Assim sendo, o que podemos fazer?
Orar é a atitude primeira de cada cristão. Mesmo que às vezes a prece pareça mística e solitária, é sem dúvida, a maior ação que podemos ter contra a miséria humana. Além disso a oração é um instrumento que não deixa amortecer a fé. Todo cristão é responsável em manter viva sua fé, que promove bênção e amor e que é instrumentos que nos fazem avançar com autoridade frente as trevas. Jesus disse que o que ligamos e desligamos na terra, tem poder de transformação no céu. Isto é, a comunhão entre oração e céu, muda a terra. Juntos temos o privilégio de governar com Deus o mundo. Temos assim, a inigualável oportunidade de unificar, em unidade com o Eterno, nossa agenda de oração por este mundo.

Em segundo lugar, é agir. Nossa ação é simples: ser testemunha. Quando temos este compromisso, as transformações começam a acontecer ao nosso derredor. Olhamos para as zonas problemáticas do mundo e pensamos que temos que estar lá para muda-las. Mas o que tenho aprendido é que tenho que estar sim, mas de forma correta, debaixo da liderança divina e com a visão certa. Não sou salvador dos problemas mundiais, sou uma testemunha de Cristo em qualquer lugar. Tenho certeza que algumas pessoas Deus levará além, não apenas como assistentes e sim como agentes de transformações profundas e perenes pelo mundo afora, alcançando multidões. Outros porém serão protagonistas solitários, para solucionar e resolver o problema, a fome e a miséria de uma simples pessoa; uma família ou uma vida singular para Deus. Eu mesmo, tendo em meu curriculum muitas proezas e milagres. Não consegui salvar as milhares de famílias e crianças nas zonas de conflito por onde andei. Gostaria, mas consegui apenas ser um simples instrumento, junto com outros irmãos, para mudar o destino de um pai, mãe e duas filhas. Pude influenciar alguns ministérios a fazerem o mesmo. Temos que agir na simplicidade e responsabilidade da fé, com uma visão clara para cada vida, como Jesus o fez. A implantação do reino de Deus, transformada em ação constante, da individualidade para a coletividade, deve ser o nosso foco.

Proclamar a tempo é quando alcançamos aos perdidos na hora agá. Proclamar fora de tempo é quando parece que não chegamos a tempo de salvar e libertar. É quando chegamos em algum lugar e a porta parece estar fechada. É quando o que cremos, vivemos e falamos não têm efeito sobre a maldade e incertezas dominantes. Contudo, eu sei em quem tenho crido e sei que ele é poderoso para fazer INFINITAMENTE MAIS e, por isso, continuaremos proclamando a CRISTO JESUS como o caminho, verdade e a vida. Assim, entregamos todo este cenário acima descrito à soberania de Deus, enquanto fazemos nossa parte: ser testemunha.

Asaph Borba

12183000_1083520035013881_6761907496233827198_o